quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Por favor, não alimente as plantas

por Maria Carolina Medeiros

Você já viu uma planta carnívora? Sabia que elas existem de verdade? Segundo a wikipedia, plantas carnívoras são aquelas que têm habilidade de capturar animais e, através de enzimas digestivas, extrair compostos nitrogenados para seu próprio aproveitamento.


Não sou bióloga e a única coisa que entendo sobre plantas é a sensação que receber flores me provoca. Mas lendo a definição sobre plantas carnívoras (não me perguntem por que), percebi que há muito mais em comum entre elas e humanos do que o fato de ambos sermos seres vivos.


Rir da “desgraça” alheia é praxe pra quase todo mundo. Mesmo a melhor das criaturas já caiu na gargalhada ao ver um desconhecido levar um tombo na rua. Mas existe uma tolerância pro nível de normalidade nesses casos. Se o escorregão provocou um acidente sério, eu ia parar de achar graça na hora. E você?


Existem pessoas que, assim como as plantas carnívoras, se nutrem da infelicidade do outro. Revêem um velho amigo, constatam que ele continua em forma e elogiam com uma ponta de inveja, em vez de perguntarem a receita do sucesso e aplicar para si. Adoram consolar a amiga que brigou com o namorado, mas se ausentam quando o casal está bem, porque na harmonia sua presença não é necessária. Ou seria porque não se sentem confortável com a alegria alheia? No fundo, essas pessoas precisam que o outro esteja mal, porque é assim que se sentem úteis, é disso que se nutrem; são como as plantas carnívoras.


Certa vez a querida mãe de uma querida amiga me disse que amigos não são necessariamente aqueles que te consolam no fracasso, e sim os que aguentam o seu sucesso. Como faz sentido! É muito mais difícil alguém que queira verdadeiramente o seu bem e consiga se nutrir disso, partilhando da sua felicidade. Porque alegria é assim, quanto mais a gente divide, mais tem. Mas precisa ser com gente do bem, que não fique forte na medida em que te enfraqueça.


Tanto se fala sobre namoros e casamentos saudáveis, mas que assim sejam também as amizades. Desconfie do amigo que precisa que você precise dele. Aquele que verdadeiramente te apoia estará, sim, ao seu lado quando você precisar. Mas se não precisar nunca, melhor ainda: vai querer estar com você mesmo assim. E vai dar graças a Deus por não ter que te emprestar o ombro pra chorar.

6 comentários:

Ohana disse...

É, amiga... a pior sensação é a de se ter essa planta carnívora em casa... aff Mas como todo ser vivo tem um ciclo, as plantas carnívoras tb um dia deixam de existir!
Saudade, Carolllll!!!
Bjuxxxxxx...

Pinha Mello Franco disse...

Adoro os seus temas. Parabens, Pinha.

Raphael disse...

ótimo texto!
Essas pessoas estão ai apenas pra isso.
Ainda bem que tenho bons amigos, eu acho ahhaha
Bjs e Parabéns!
Raphael Leta

Mr.Jones disse...

E quando se trata de Ex plantas carnívoras(exs namoradas)?
Pois é, algumas levam e nos deixam coisas boas...Outras? Nem deveria ter participado da minha vida. Porque de forma nenhuma contribuiu.

legal seu texto.

abçs

Anônimo disse...

Carol,
Estou reiciando minhas aulas de informatica e resolvi, sob orientação da minha professora.
Continuo gostando muito dos seus textos.
Beijos do Pai.

Anônimo disse...

Com o passar do tempo vamos aprendendo a reconhecer e neutralizar as plantas carnívoras do nosso dia à dia. Vamos nos tornando imunes às tais enzimas atrentes...rs Continue Carol... é sempre bom ler o que escreve! Beijos Ellen Aniszewski.