quarta-feira, 22 de julho de 2009

A dádiva da amizade

por Maria Carolina Medeiros

No último capítulo da série Sex and the City, a personagem principal, Carrie Brashaw, reflete: “se você encontrar alguém que ame o você que você ama, isso sim é fabuloso”. Eu concordo com ela: ninguém é perfeito e todos nós temos defeitinhos que podem ser modificados, podemos nos tornar mais flexíveis, mais compreensivos, mais carinhosos. Mas o que é básico, nossos valores e princípios, esses sim não mudam. E alguém que ame você de verdade, te ama do jeito que você é. Na minha vida, chamo essas pessoas de amigos.

Adoro fazer novos amigos e também conservar os antigos. Isso resulta num número expressivo de amizades, e levei um tempo para perceber que existem amigos para ocasiões diferentes, e que conseguimos aproveitar o melhor de cada um quando aprendemos a respeitar as diferenças. Às vezes um amigo te empresta o ombro pra chorar, enquanto outro não quer ouvir suas lamentações, mas por sua vez te chama para sair, te anima, coloca pra cima. Não necessariamente o que te escuta é mais amigo, são modos diferentes de demonstrar amizade. E precisamos de todas elas, cada qual em seu momento.

Não vivo sem meus amigos de noitada, que tornam minha vida mais divertida, com histórias para contar pros netos. Os amigos do dia a dia têm uma participação diferente na minha vida daqueles com quem quase não encontro (por pura falta de tempo), mas que quando resolvo colocar o papo em dia, haja assunto! Porque a vontade de compartilhar a minha vida é a mesma, só a freqüência com que faço isso é que muda.

Há amigos para falar abobrinha e rir até a barriga doer, outros com quem converso sobre assuntos mais profundos. Nenhum é melhor do que o outro, porque conversar a sério quando queremos falar besteira também é um saco! Tudo é questão de momento, mesmo.

Existem também amizades que transcendem qualquer denominação. Você nem consegue rotular como amizade “de noitada”, do “dia a dia”, de “conversas sérias”. Não é um amigo que tenha necessariamente tudo a ver com você (diferenças são bem-vindas), às vezes vocês se conhecem de toda a vida, ou pode ser amizade mais recente. O que é raro é encontrar aquele amigo com quem você não precisa marcar um jantar no restaurante da moda para ser legal. Vocês se divertem juntos vendo um vídeo bobo no youtube, falando mal dos outros (momento intriga básico), rindo e chorando, literalmente.

Certa vez eu li que você conhece bem uma pessoa não quando se casa com ela, e sim quando se divorcia. Porque é em momentos de conflito, no limite, que as pessoas mostram verdadeiramente como são. Em amizade é mais ou menos assim: é fácil ser tolerante quando o outro é razoável. Mas quando a gente briga, um dos dois perde as estribeiras e fala mais do que devia?

Quando a amizade já “transcendeu”, a gente briga e não consegue ficar mais do que algumas horas chateado. Quando não encontra as palavras certas para pedir desculpas, dá um abraço e fica tudo bem. É o tipo de amigo ao lado de quem você se sente bem em silêncio, porque nem tudo precisa ser dito.

Por mais que a gente diga “eu sei que fulano estará ao meu lado quando eu precisar”, não, você não sabe. E só descobre quando precisa de fato. Não existe uma maneira de mensurar amizades, e acredito que cada amigo tenha um papel nas nossas vidas - e todos eles são importantes. Mas existem amigos... e existem os irmãos que a gente escolhe.

8 comentários:

Thaisa disse...

Perfeito! Impecável! Mais que verdadeiro para a semana do dia do amigo! Parabéns mais uma vez Carol!
Bjs
Thaísa

Nathália disse...

Perfect!!!
Mais uma vez sou inspiraçao para um paragrafo dos seus Textos!!!Hehehehehehhehe
Bjo e Parabens !!
P.S: O 1 exemplar do futuro livro sera meu hein

CHIFON disse...

AMEI AMIGA!! Como sempre acertou em cheio nas defibições, nos exemplos e palavras!!
Beijo grande!

Pat

Thais Lacerda disse...

Ai amiga...

Que linda a sua matéria..minha CArrie Brasdshaw!

TE adoro

Anônimo disse...

Ótimo texto!!! Parabéns!!
Ter amigos é muito bom... alguns são loucos, mas ta valendo hehehe desde que seja uma amizade verdadeira, claro!!

A amizade...
Nem mesmo a força do tempo irá destruir
Somos verdade...
Nem mesmo este samba de amor pode nos resumir....

Quero chorar o seu choro
Quero sorrir seu sorriso
Valeu por você existir amigo...

Beijos
Raphael Leta

Anônimo disse...

PS (2): Alguns leitores irão sair no tapa pelo 1 exemplar do livro..... rsrs

Só sei que esse livro vai bombar rsrs

Bjs
Raphael Leta

Anônimo disse...

Carol,
Acredito muito nessa diversidade das relações,isso reflete a nossa grande capacidade de amar.
Parabéns pelo texto.Você é uma pessoa iluinada e a amiga a qual admiro muito.Um grande beijo!
Eliana

Anônimo disse...

Nossa, Carol, lindo texto! Amigos pra todas as horas, sempre! Bjs Didi