quinta-feira, 29 de maio de 2008

Pare o mundo que eu quero descer!

publicado em 19.05.08 em www.sacoleirachic.com.br


Que o dia-a-dia de todos nós é cada vez mais corrido, todo mundo sabe. Que falta tempo para conciliar todas as atividades, não é segredo para ninguém. O que me assusta nessa vida louca que tomou conta do cotidiano da maioria dos humanos é que virou normal a gente não ter tempo pra se divertir, pra parar pra pensar na vida, pra relaxar ou seja lá pra fazer o que for que nos dê prazer.

Parece absurdo, mas tem muita gente por aí que só falta se vangloriar de dizer que “não tiro férias há anos”. Peraí, o que tem de vantajoso nisso? A cultura capitalista (nada contra, mas temos que ser críticos) incutida na mentalidade de quem quer/precisa ganhar dinheiro (afinal, ele não traz felicidade, mas ajuda) faz com que a gente só falte morrer de vergonha quando pode curtir uma prainha durante a semana, ler um livro ou simplesmente não fazer nada. Pára o mundo que eu quero descer!

O dinamismo do mercado de trabalho nos faz sentir ameaçados, prestes a sermos substituídos a qualquer momento se não formos eficazes o tempo todo. Ok, faz parte do jogo, mas quem agüenta viver sob essa pressão? A coisa já está tão doida que eu, que trabalho (e muito!) com meus textos em casa cheguei a ficar na dúvida se era realmente privilégio ter horários flexíveis - o que significa malhar de manhã, trabalhar, escrever enquanto faço as unhas, almoçar tranquilamente – enquanto a maioria dos mortais rala de 8 às 18 num escritório sem parar pra beber água. Por um tempo, algo me dizia que errada devia ser eu que “ousei” andar na contramão da loucura que se tornaram os dias de quem tem trabalhos “convencionais”.

Outro exemplo da ansiedade que tomou conta de nós é o celular. É útil, sim, mas considero esse aparelhinho um mal necessário, e só. Gente, vejo as pessoas caminhando na praia falando ao celular e penso: “como assim?”! Sei de pessoas que saem no meio da aula de yôga, onde supostamente se vai pra relaxar, quando o celular toca. E podem acreditar que, na maioria das vezes, não se trata de nenhum assunto urgentíssimo, mas nós achamos que tudo é urgente sempre, até porque tendemos a cobrar isso dos outros. Quem nunca falou pra uma amiga que não atendeu ao celular algo do tipo “você não viu minha ligação? Por que não me retornou?”. Pai nosso! Será que tudo mudou tanto que passou a ser errado querer alguns minutos de sossego no dia, o que inclui ficar incomunicável?

Falando em sossego, há quem o busque em atividades como pilates e yôga, como comentei antes. É o meu caso, inclusive. Acho totalmente legítimo, desde que as aulas sirvam como “base” para praticarmos a desaceleração ao longo do dia, mesmo contra a vontade do mundo. Uma amiga comentou que o boom dessas atividades se deve ao fato de que as pessoas precisam ter uma hora previamente marcada em seu dia para se lembrarem de respirar um pouco. Ela tem razão. Até porque relaxar nas outras 23 horas do dia, nem pensar.

Lembro-me de ter participado de uma concorrência em uma empresa e uma das candidatas me disse que topava qualquer cargo porque, para ela, “a prioridade naquele momento era ganhar dinheiro, ser feliz ficava pra depois”. Fiquei chocada. Quando começamos a nos sentir culpados em sermos felizes?

O problema é que quando “resolvermos” que é hora de aproveitar as coisas boas da vida elas podem nem ter mais graça, afinal, tudo tem seu tempo. Os filhos crescem e muitas mães não vêem porque estavam no celular quando podiam ter caminhado na praia. O corpo reclama e pode ser tarde para curar uma doença porque, em vez de cuidarmos da gente, saímos correndo da aula de yôga por um motivo que nem era tão urgente assim. Temos receio de tirar férias e isso nos custar substituição no emprego, então trabalhamos infelizes e mal-humorados, tentando acreditar que há algo de louvável em não descansar nunca.

Pode ser que a gente não se permita fazer nada disso e pife, pife mesmo, e só assim vamos entender que se divertir não é pecado, que trabalho é ganhar dinheiro mas é também realização, e que se a gente não se cuidar, o mundo nos engole e a gente nem percebe.

19 comentários:

viviane disse...

Você tem toda razão, Carol! Não ter tempo é chic... Você já reparou como as pessoas adoram fazer duas, três coisas ao mesmo tempo?? Isso me faz lembrar uma frase do grande poeta alemão Rainer Maria Rilke no livro "Cartas sobre Cézanne". Ele diz mais ou menos assim: "somos infelizes porque chegamos sempre inacabados ao presente, dispersos em tudo". Não dá pra viver tudo-ao-mesmo-tempo-agora, né?

Um grande beijo da sua irmã - e sua fã - Vivi.

Solayne disse...

Carol, Amei o tema da sua coluna dessa semana. É impressionante como estamos tão voltados ao trabalho que esquecemos de viver o dia!!! Parabéns!!! Bjos, Sol

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Nobrucks Amaral disse...

Excelente Carol! Sinais da Pós-modernidade. O chato é que a maioria das pessoas se deixar levar por essa loucura.. Bjss!!

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Mana Pontez disse...

Carol, vc é o máximo.... Que legal seu texto. Eu há algum tempo estou praticando o movimento slow down... tudo vai ser feito com calma, uma coisa depois da outra, com essencia de estar presente... afinal o presente é realmente um presente. Acho que essa herança do stress que estamos deixando para vcs mais jovens vai acabar quando perceberem que não devem competir com a velocidade do computador e sim usa-lo para ter mais tempo para ser livreeeeeeeeeeeeee, A minha geração queria tudo e não tinha nada, informação, produtos bacanas, lugares atraentes etc queria ser livre e tinha a repressão... e vcs???? vcs tem tudoooooooo, então minhas meninas relaxem...e vão fundo no que o coração está acreditando, ele sabe tudo e a gente não está copnseguindo mais escutá-lo... Beijos orgulhosos, Mana

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Marcos Martins disse...

Parabéns Carol, usei meu tempo para descontrair um pouco e VALEU! Sua coluna está ótima. Bjs!

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Lu Morgado disse...

Meu Deus!!! Vc escreveu isso pra mim?? Beijos

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Paola Santos disse...

Nóssa, como tem dias q nos deparamos com textos perfeitamente cabíveis ao nosso dia! Incrivel! E hj é um dia desses... Concordo perfeitamente com a ideia ultrapassada de que trabalhar significa ficar praticamente o dia inteiro dentro de uma empresa, sendo que mtas vzs vc sequer consegue produzir 3h de seu dia... Carol, parabéns mesmo!!! Hj falamos disse em minha Pós!!!Vou até usar de seu texto pra evidenciar mais ainda o q estavamos debatendo! Parabéns lindona! Vc tá se superando! bjosss e mais beijos, Pá

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Paula Gonçalves disse...

Carol, amei esse tema! Acho que me identifiquei em tudo que vc escreveu.... falta de tempo para nós mesmo!!! Parabéns!! Bjs

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Luiz de Melo disse...

Carolzinha!!! Parabéns pelos textos! Tá mandando muito bem, como de costume! Sucesso na coluna!! Bjão!!!

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Gi Faria disse...

Carol, Antes de dizer que eu já adoro as coisas que vc escreve, vou dizer o que meu irmão comentou qd acabei de mostrá-lo sua coluna pq ele é o mais crítico e sensato que conheço... na mesma hora respondeu que adorou e ainda disse mais.. "Quero que meu papai e minha irmãzinha vejam esse texto e qd sairmos final de semana ou fora do trabalho, desliguem um pouco do trabalho e o celular tb.." engraçado.. a irmãzinha sou eu... rsrs é verdade, nós que buscamos trabalhos por paixão pelo que fazemos, nós que buscamos flexibilidade... Trabalhamos muito desordenados por vezes... ... eu diria que venho pensando muito sobre isso e tenho conseguido ver até outras paixões, digo paixões mesmo por tempos livres, antes eu achava um absurdo o nada a fazer.. hj por exemplo consegui sair mais cedo do trabalho e fui só almoçar num rodízio de japonês, mesmo sozinha, e qd cheguei na faculdade estava muito mais tranqüila e terminei de escrever um projeto que estava dias para concluir... é aquele velho dito.. o ócio produtivo.. Funciona d verdade.. Carol, já disse que te adoro e agora que parabenizá-la por essa nova coluna!!! Aproveitar e mandar um mega beijo para meu irmãozinho também porque ele é uma pessoa eu sabe como me “freiar” para ver todo esse lado da vida!!! Sucesso e muitas felicidades para vc!!! beijinhoss

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Pri Palladino disse...

Pelo visto todos sofremos desce mal do mundo moderno! Pára pq eu quero descer!rs... Carol,parabéns!Estou amando!!! Bj

terça-feira, 20 de maio de 2008

Bruna Carvalho disse...

Carol, adorei o texto dessa semana, traduz exatamente essa nossa vida corrida de hj em dia. Eu q o diga, afinal estou com seu presente de aniversário desde 17/05 e até hj não consegui lhe entregar, rssssss ............... Bjss e parabéns pela coluna !!!

terça-feira, 20 de maio de 2008

Paty Menchris disse...

Amiga, ADOREI!! Tem TUDO a ver com meu momento...afinal...posso perder meu emprego por não abrir mão da minha viagem à Europa agora!! É uma loucura porque sofremos em optar pelo lazer, pela saude...COMO PODE??? Bjusssss

terça-feira, 20 de maio de 2008

Rogério Freire disse...

Carol, mais uma vez você se superou! Como este texto deve estar mexendo com muita gente (inclusive comigo) que não tira férias, ou quando tira, fica com a sensação de que 30 dias nem pensar! Mais uma vez parabéns! E vamos tirar o pé do acelerador...

terça-feira, 20 de maio de 2008

Marcela Alves disse...

Carol, Parabéns pela coluna nova. Adorei! ; ) Tem que desacelerar, mesmo,até pq isso se tornou (por incrível que pareça) uma árdua tarefa. Boa sorte pra vc e mto sucesso. Beijos

terça-feira, 20 de maio de 2008

Daniel Cadete disse...

Carol, Seu segundo texto na coluna era "The story of my life", até conhecer seu pai e seu irmão. Minha vida (principalmente aqui no Rio) está dividida em AC/DC (Antes dos Cacau/Depois dos Cacau) rsrsrs. Minha vida era correria total, e com um detalhe terrível, correria atrás dos sonhos dos outros! Aprendi que se você não trabalha em prol de seus sonhos, invariavelmente está correndo atrás dos sonhos dos outros. Agora, procuro trabalhar o "Ócio Criativo" sempre que posso . Carpe Diem ainda não é o lema de minha vida mas quem sabe um dia... Adorei seu texto! Não sou nenhum crítico de literatura mas sei quando algo é agradável de ser lido. Parabéns e beijos! Daniel

terça-feira, 20 de maio de 2008

Thais Lacerda disse...

Ai amiga.... Fantástica! Simplesmente fantástica a sua coluna da semana... Adorei e sou de acordo..estou mudando a minha vida para melhor.... Bjocas

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Fernanda Henriques disse...

Carolzinha, Amei a coluna!!! Você Abordou um tema muito presente, que, justamente por falta de tempo, às vezes nem nos damos conta do problemão que estamos vivendo. Um beijão e parabéns, Fernanda Henriques

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Guta disse...

Carol, amei a matéria.....é tudo...adorei as dicas...rs Vou ver sempre!!!! Beijossss

quarta-feira, 21 de maio de 2008